Donald Trump deverá designar o genro Jared Kushner como um dos seus principais conselheiros, segundo avança esta segunda-feira o Washington Post. Casado com Ivanka Trump, Kushner deverá juntar-se à Casa Branca enquanto conselheiro após já ter sido uma das pessoas mais próximas de Trump durante a campanha eleitoral, mas existem dúvidas éticas acerca da viabilidade da sua nomeação.
Kushner, de 35 anos, é administrador do negócio multimilionário da sua família há quase uma década, com foco específico na área do imobiliário. Segundo o Washington Post, uma declaração do advogado de Kushner emitida este fim de semana esclarecia que o empresário estaria disposto a demitir-se do seu posto executivo e a vender “ativos substanciais” para poder assumir um lugar na Casa Branca de Donald Trump.
Ler Mais Trump nomeia mais um nome ligado a Wall Street


No entanto, a nomeação de Jared Kushner para um posto próximo do presidente poderá enfrentar obstáculos. Por um lado, colocam-se questões relacionadas com possíveis conflitos de interesses se Kushner se mantiver parcialmente ligado aos seus interesses empresariais.
Por outro lado, existe uma lei federal contra o nepotismo que impede que funcionários públicos nomeiem familiares para as agências que supervisionem. Criada quando John F. Kennedy nomeou o irmão para procurador-geral, a lei refere explicitamente os genros. Não está decidido, porem, se a lei se aplica a este caso visto que a Casa Branca não é uma agência.


Fonte: Msn Notícias

Enviar um comentário

 
Top